Carregando...
JusBrasil - Legislação
06 de maio de 2016

Decreto 6842/09 | Decreto nº 6.842, de 7 de maio de 2009

Publicado por Presidência da Republica (extraído pelo JusBrasil) - 7 anos atrás

LEIAM 0 NÃO LEIAM

Regulamenta a concessão de alíquota zero, até 30 de abril de 2012 ou até que a produção nacional atenda a oitenta por cento do consumo interno, da Contribuição para o PIS/PASEP, da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social - COFINS, da Contribuição para o PIS/PASEP-Importação e da COFINS-Importação incidentes sobre a receita bruta decorrente da venda no mercado interno e sobre a importação de papel. Ver tópico (62 documentos)

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o inciso IV do art. 84 da Constituição, e tendo em vista o disposto nos incisos III e IV do § 12 do art. 8o, no inciso II do § 13, nos incisos I e II do art. 28 da Lei no 10.865, de 30 de abril de 2004, e no art. 18 da Lei no 11.727, de 23 de junho de 2008, DECRETA:

Art. 1o Ficam reduzidas a zero, até 30 de abril de 2012 ou até que a produção nacional atenda a oitenta por cento do consumo interno, as alíquotas da Contribuição para o PIS/PASEP e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social - COFINS, da Contribuição para o PIS/PASEP-Importação e da COFINS-Importação, incidentes sobre a receita bruta decorrente da venda no mercado interno e sobre a importação de: Ver tópico (29 documentos)

I - papel destinado à impressão de jornais; e Ver tópico (2 documentos)

II - papéis classificados nos códigos 4801.00.10, 4801.00.90, 4802.61.91, 4802.61.99, 4810.19.89 e 4810.22.90, da TIPI, destinados à impressão de periódicos. Ver tópico (1 documento)

§ 1o O disposto neste artigo aplica-se somente às aquisições ou importações realizadas por: Ver tópico (22 documentos)

I - empresa jornalística, editora que explore a indústria de jornal ou gráfica impressora de jornais, na hipótese do inciso I do caput; Ver tópico

II - empresas que explorem a impressão de periódicos utilizando papéis classificados nos códigos 4801.00.10, 4801.00.90, 4802.61.91, 4802.61.99, 4810.19.89 e 4810.22.90 da TIPI; Ver tópico (1 documento)

III - no caso de importação, empresa estabelecida no País como representante da fábrica estrangeira do papel, para venda exclusivamente às pessoas referidas nos incisos I e II deste parágrafo. Ver tópico (3 documentos)

IV - empresas que exerçam as atividades de comercialização ou distribuição de papel nas hipóteses dos incisos I e II do caput, para venda exclusivamente às pessoas referidas nos incisos I e II deste parágrafo, observados os arts. 1o e 2º da Lei nº 11.945, de 4 de junho de 2009. (Redação dada pelo Decreto nº 7.293, de 2010) Ver tópico (9 documentos)

§ 2o O benefício de que trata o caput não abrange os papéis utilizados na impressão de publicação que contenha, exclusivamente, matéria de propaganda comercial. Ver tópico

§ 3o Os papéis a que se refere o caput não poderão ser utilizados em catálogos, listas de preços, publicações semelhantes e revistas de propaganda. Ver tópico (1 documento)

§ 4o Para fins da redução a zero, das alíquotas da Contribuição para o PIS/PASEP e da COFINS, de que trata o caput, somente poderão adquirir papel imune no mercado interno a empresa para esse fim registrada, na forma estabelecida pela Secretaria da Receita Federal do Brasil. Ver tópico (1 documento)

§ 5o Para fins da redução a zero, das alíquotas da Contribuição para o PIS/PASEP-Importação e da COFINS-Importação, de que trata o caput, somente poderá importar papel imune ou adquiri-lo das empresas referidas no inciso III do § 1o a empresa para esse fim registrada, na forma estabelecida pela Secretaria da Receita Federal do Brasil. Ver tópico (1 documento)

§ 6o A verificação do percentual de que trata o caput será realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Ver tópico

§ 7o Devem ser registradas, de forma segregada, e ter o saldo controlado durante todo o período: (Incluído pelo Decreto nº 7.293, de 2010) Ver tópico

I - as aquisições dos papéis referidos no inciso II do caput das aquisições dos demais papéis; (Incluído pelo Decreto nº 7.293, de 2010) Ver tópico

II - as vendas de papéis e jornais destinados à impressão de jornais ou periódicos das vendas não destinadas a esses fins. (Incluído pelo Decreto nº 7.293, de 2010) Ver tópico

Art. 2o A Secretaria da Receita Federal do Brasil poderá estabelecer: Ver tópico

I - normas para autorização da venda de aparas ou de papel impróprio para a impressão, desde que se destinem a utilização como matéria-prima; Ver tópico

II - normas que regulem o cumprimento das obrigações acessórias previstas no art. 1o; Ver tópico

III - limite de utilização do papel nos serviços da empresa; e Ver tópico

IV - percentual de tolerância na variação do peso, pela aplicação de tinta ou em razão de umidade. Ver tópico

Art. 3o Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, retroagindo seus efeitos a 1o de maio de 2008. Ver tópico (1 documento)

Art. 4o Ficam revogados os incisos III e IV do caput e o § 1º do art. 4º do Decreto no 5.171, de 6 de agosto de 2004. Ver tópico (2 documentos)

Brasília, 7 de maio de 2009; 188o da Independência e 121o da República.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA

Guido Mantega

Este texto não substitui o publicado no DOU de 8.5.2009

* ordenadas UTM N=7.159.858,715 e E=685.345,674, e o segundo com azimute verdadeiro de 262º03 37” e distância de 1,23 m até o março C, de coordenadas UTM N=7.159.858,546 e E=685.344,458, locado em comum com a faixa de domínio da Rodovia BR-376/PR, com terras de Joassé Bepe Varicelli e com terras de Mitra da Arquidiocese de Curitiba; daí segue confrontando com terras de Mitra da Arquidiocese de Curitiba em dois segmentos de reta, sendo o primeiro com azimute verdadeiro de 345º08 13” e distância de 89,85 m até o março D, de coordenadas UTM N=7.159.945,394 e E=685.321,409, e o segundo com azimute verdadeiro de 274º13 02” e distância de 23,46 m até o março E, de coordenadas UTM N=7.159.947,119 e E=685.298,012, locado em comum com terras de Mitra da Arquidiocese de Curitiba e com a rodovia municipal - acesso sul; deste segue confrontando com a rodovia municipal - acesso sul em um segmento de reta com azimute verdadeiro de 66º07 27” e distância de 23,48 m até o março A, março este que deu origem ao perímetro descrito; e

V - área 05: matrículas nos 4.941, 4.778 e 4.365 - área de 1.072,52 m2 (um mil e setenta e dois metros quadrados e cinqüenta e dois decímetros quadrados), situada no Município e Comarca de São José dos Pinhais, no Estado do Paraná, com os seguintes limites e confrontações: Norte, com terras de Luiz de Freitas Santos Filho e Claudete Sell de Freitas Santos; Leste, com a faixa de domínio da Rodovia BR-376/PR; Sul, com a rodovia municipal - acesso sul; e Oeste, com terras de Luiz de Freitas Santos Filho e Claudete Sell de Freitas Santos. Descrição do perímetro: partindo do março A, de coordenadas UTM N=7.160.064,363 e E=685.289,836, cravado em comum com terras de Luiz de Freitas Santos Filho e Claudete Sell de Freitas Santos e com a faixa de domínio da Rodovia BR-376/PR; deste segue confrontando com a faixa de domínio da Rodovia BR-376/PR, em um segmento de reta com azimute verdadeiro de 165º08 13” e distância de 14,06 m até o março B, de coordenadas UTM N=7.160.050,770 e E=685.293,443, locado em comum com a faixa de domínio da Rodovia BR-376/PR e com a rodovia municipal - acesso sul; daí segue confrontando com a rodovia municipal - acesso sul em um segmento de reta com azimute verdadeiro de 244º52 12” e distância de 66,23 m até o março C, de coordenadas UTM N=7.160.022,646 e E=685.233,485, locado em comum com a rodovia municipal - acesso sul e com terras de Luiz de Freitas Santos Filho e Claudete Sell de Freitas Santos; daí segue confrontando com terras de Luiz de Freitas Santos Filho e Claudete Sell de Freitas Santos em três segmentos de reta, sendo o primeiro com azimute verdadeiro de 10º26 06” e distância de 13,56 m até o março D, de coordenadas UTM N=7.160.035,980 e E=685.235,941, o segundo com azimute verdadeiro de 40º08 58” e distância de 25,32 m até o março E, de coordenadas UTM N=7.160.055,332 e E=685.252,266, e o terceiro com azimute verdadeiro de 76º29 04” e distância de 38,64 m até o março A, março este que deu origem ao perímetro descrito. Ver tópico

Art. 2o Fica a Autopista Litoral Sul S.A. autorizada a promover a desapropriação das referidas áreas de terrenos e benfeitorias, de que trata o art. 1o, com recursos próprios, na forma da legislação e regulamentos vigentes. Ver tópico

Parágrafo único. A expropriante fica autorizada a invocar o caráter de urgência no processo de desapropriação, para fins de imissão de posse, das áreas de terrenos e benfeitorias abrangidas por este Decreto, nos termos do art. 15 do Decreto-Lei no 3.365, de 21 de junho de 1941. Ver tópico

Art. 3o Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. Ver tópico (1 documento)

Brasília, 12 de novembro de 2010; 189º da Independência 122º da República.

JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA

Paulo Sergio Oliveira Passos

Este texto não substitui o publicado no DOU de 12.11.2010 - Edição extra ÿÿ

×

0 Comentário

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)